Mulher Ovário PolicísticoA Síndrome dos Ovários Policísticos, conhecida como SOP, atinge uma em cada dez mulheres, não é uma doença rara, e nem tão grave. Quando acompanhada por exames, bons médicos e o tratamento adequado, é possível manter um quadro clínico estável sem grandes preocupações e riscos.

Fique atenta, pois nem todas as mulheres manifestam sintomas, ou não associam a síndrome à menstruação desregulada, ganho de peso, doenças de pele, como surgimento de acnes, entre outros sintomas. Normalmente o ovário policístico se manifesta na adolescência, sendo assim é necessário ir regularmente ao ginecologista.

A atenção precisa ser redobrada para quem tem a Síndrome dos Ovários Policísticos e deseja engravidar, pois devido às alterações hormonais, o processo de ovulação sofre algumas interferências. Mas não se desespere, há muitos mitos de que esse problema torna as mulheres inférteis, mas tudo depende da situação e da gravidade de cada caso, o que ocorre é apenas uma mudança no funcionamento dos ovários, alterando a produção e maturação dos óvulos.

O que é Ovário Policístico?

Bebê ÚteroA Síndrome dos Ovários Policísticos, conhecida como SOP, é a formação de microcistos no ovário. Geralmente, surgem mais de dez cistos, de 6 a 10 mm cada, que se distribuem na superfície do órgão. Pelo acúmulo desses microcistos, pode haver também o aumento do ovário, que em seu estado normal, é do tamanho de uma azeitona.

Na maioria das vezes, a síndrome aparece na adolescência, mas nem todas a manifestam, algumas mulheres menstruam normalmente, tem filhos, e nem desconfiam do problema, são as chamadas “assintomáticas”.

Os cistos são bolinhas que possuem um conteúdo líquido e podem aparecer em qualquer lugar do corpo, não só nos ovários ou no útero. Mensalmente toda mulher desenvolve um cisto, que cresce na primeira fase do ciclo menstrual, atinge uma dimensão de aproximadamente 18mm no período da ovulação, e se rompe, indo para as trompas onde ocorre a fertilização, caso haja o encontro com um espermatozóide. Nesta situação, o cisto não é um problema, é o chamado “cisto funcional”, mas caso haja a formação fora dessas características, aí sim pode ser considerado como uma doença.